Diario de uma mãe louca

segunda-feira, janeiro 09, 2006

EU PECADORA ME CONFESSO


Sim Hugo,
Hoje estou num dia difícil…
Há montes de coisas que poderia fazer, para esquecer…Coisas que as pessoas fazem quando estão como estou hoje…
Se gostasse de beber…hoje teria um estado de espírito
perfeito para apanhar uma “tosga” …comprimidos? Andam aos pontapés cá por casa de tantos médicos já ter ido…Já tinha há muito tempo acabado com isso…e agora ainda menos…quero estar bem lúcida…os médicos depois destes “choques” querem as pessoas a dormir…não é que não me apetecesse…sabes como eu sou…cada um tem as suas fraquezas…mas como já disse quero estar bem lúcida…
Como te andava a dizer ultimamente as pessoas a dormir não pensam…Tinhas urgentemente que pensar…ouvir o teu pensamento…porque adormecido…estavas a ser “levado” manipulado…por quem estava bem acordado…e tu mesmo a dormir eras um bom executor de ordens…isso toda a gente sabe...
Olha por exemplo no dia 9 de Junho quando o pai teve
a recaída…mesmo com comprimidos foste tu de noite que o conduziste ao Hospital, que eu sem comprimidos tremia tanto que não sabia distinguir o travão do acelerador…o teu pai sem poder respirar….a aflição que foi…se não fosses tu…acudir-me…
Mas olha filho, quando estou assim cheia de dor…sofrendo de uma maneira que não consigo explicar tal tortura…é verdade que dói tudo…fisicamente também…já confirmei isso com pessoas que passaram por algo semelhante…passa-me tudo pela cabeça…o primeiro pensamento é não consigo aguentar…não consigo…vou acabar com isto já…
Mas depois há esta “defesa” o blog a escrita…e ainda as msgs…
Eu pecadora me confesso…deixei de ir à Missa só vou no teu dia…deixei de cantar no coro da igreja…deixei de bater com a mão no peito…quero pecar …pecar….
A ultima msg que mandei para a tua excompanheira …eu que nunca digo um palavrão…merda era o único…agora estou a mudar…vê só o que escrevi e enviei no dia de natal enquanto me contorcia com dores…
“…Não queres que te devolva a tua pistolinha de brincar? Assim ias treinando uns tirinhos nos cornos…tinhas tantos k parecias a rena do pai natal…o paneleiro do teu primo não me manda prender? O crime de ter deixado morrer o meu filho…na tua casa…na cama para a tua irmã não é suficiente? Como é k confiei em ti?Tu contaste-me o k a tua mãe fez ao coitado do teu pai…kerias fazer o mesmo ao Hugo? Sabias k vais acabar cheia de “formigueros”?
Diz-me lá Hugo se não vês aqui nada de teu…pois é…
Tou possessa eu agora sou tu? Transmitiste-me tanto ódio por ela nos últimos meses…que fiquei com esta carga em cima…e só me apetece pecar…pecar…a ira
é um pecado mortal…um dos sete…porque há ainda há 6 não é Hugo?…tu sabias de catequese…excluindo alguns…gula por exemplo…detesto comer…e outros…ainda ficam alguns por praticar…
A esperança que vai haver justiça…vão rolar cabeças…não serei eu o carrasco? Ou serei? Essa esperança alivia um pouco…


Esta dor enorme de ver o cadáver dum filho com brilho nos olhos…e no dia anterior ver um filho vivo…mas com os olhos "sem brilho"...
Faz proliferar como uma bactéria dentro de mim uma enorme vontade de pecar…pecar…

Posted by Mae :: 03:32 :: 0 comments

Post a Comment

------------------------------